segunda-feira, 20 de junho de 2016

Capítulo 3

Pov. Vanessa
Tranquei-me na porra desse quarto e não iria sair daqui por nada, a única vontade que eu tinha era de matar o Zachary e a Megan. Depois da declaração que eu fiz, depois de finalmente conseguimos um momento nosso ele estraga tudo indo encontrar aquela puta.
Senti um nó na minha garganta e quando me deu conta estava aos prantos, primeiro Giovanna e agora essa Megan? A vida queria mesmo por em prova nosso amor, queria ver se realmente ele seria forte o suficiente pra passar por isso, só pode ser isso é a única explicação que eu tenho. Chorei tanto que acabei dormindo em meio as lagrimas e só acordei porque ouvi Zachary bater na porta e me chamar.
- Amor abre a porta vai. –ele pedia do outro lado. Fechei meu olhos com força e os abri novamente, a escuridão no quarto me deu vontade de ignora-lo e voltar a dormi.
- Me esquece Zachary. –falei enquanto deitava direito. –Falei que podia ficar lá com ela.
- Deixa de besteira amor e abre essa porta. –ele insistiu.
- Não. –falei firme enquanto enfiava minha cabeça debaixo do travesseiro. Ele finalmente desistiu já que o silencio voltou a reinar naquela casa, estava quase dormindo de novo quando senti um leve carinho nas minhas costas.
- Esqueceu-se de fechar a janela amor. –ele falou com aquela porra de voz rouca.
- Por que você voltou mesmo? –falei tirando o travesseiro do rosto e virei para olha-lo.
- Porque é você que eu quero e é você que eu amo. –ele falou me olhando e fazendo um leve carinho em minha bochecha.
- Agora você me ama, e agora você me quer. –dei uma risada irônica. –Mas na hora de me deixar aqui sozinha não pensou duas vezes.
- Desculpe amor. –ele me olhou nos olhos. –Desculpa mesmo, eu não deveria ter feito aquilo.
- Não deveria mesmo. –falei o encarando.
- Por favor, me desculpe, odeio quando eu sou o motivo pelo qual você chora.
- É só não me dá motivos.
- Por favor, desculpas. –ele me olhou com uma cara de cachorro sem dono.
- Com uma pequena condição. –ele assentiu para que eu continuasse. –Para de ter amizade com essa mulher.
- Já parei. –ele me olhou.
- Promete que não vai ser amigo dela? Promete que vai nem falar com ela?
- Eu já disse que prometo. –eu queria acreditar mas uma parte de mim não acreditava em tais palavras.

Pov. Zachary

- Podemos parar de brigar agora? –falei a olhando. Eu odiava o fato de vê-la chorando e odiava ainda mais ser o motivo por ela está chorando, se ela não queria me ver com a Megan ela não veria.
- Podemos. –ela fez um bico fofo e eu sorri.
- Eu vou tomar um banho e volto pra ficar com a mulher mais linda do mundo. –ela me olhava com uma cara de “É bom que seja” e eu ri. Tomei uma ducha rápida e sai do banheiro enrolado em uma toalha, Vanessa me olhou mordendo o lábio inferior, a morena levantou e caminhou ate onde eu estava. Um sorriso pervertido tomava conta de seus lábios e eu claro entendi imediatamente o que aconteceria nas próximas horas.
- Sabe o que eu mais gosto das nossas brigas? –ela falou enquanto distribuía beijos pelo meu pescoço. Balancei a cabeça em negação e ela se afastou para me olhar e não disse nada. Seus lábios se chocaram aos meus iniciando um beijo quente e intenso, os beijos passaram pro meu pescoço e uma de suas mãos deslizava pelo o meu peitoral, fechei os olhos suspirando e sentindo sua mão descer mais e mais. –Você me fazendo gemer depois que eu te chupar. –ela se ajoelhou na minha frente e puxou a toalha jogando a mesma em um canto qualquer.
- Oh… –gemi rouco ao sentir sua boca quente em meu membro. Segurei em seus cabelos formando um rabo de cavalo a ajudando com os movimentos. Eu estava completamente perdidos em meus pensamentos e completamente entre ao prazer. –Oh Megan… –do nada Vanessa parou com os movimentos e eu senti um tapa em meu rosto.
- Tá maluca? –praticamente gritei enquanto passava a mão no rosto.
- Megan? –ela distribuía tapas e eu tentava segura-la. –Me solta porra! –ela se livrou dos meu braços e seguiu em direção a porta e saindo logo em seguida, procurei por uma cueca e assim que encontrou vesti a mesma e corri atrás dela.
- Vanessa? –chamei e ouvi a porta da geladeira ser batida com força. –Am….
- Nem termina a porra dessa palavra. –ela bateu o copo que por sinal quebrou no balcão da cozinha. –Que porra é essa Zachary? Você me chamou de Megan.
- Chamei? –se chamei eu realmente não lembro.
- Não se faça de idiota. –ela me olhou furiosa.
- Foi sem q….
- Não, não foi sem querer. –ela se aproximou. – Querendo ou não voce sente sim atração e se vacilar ate algo mais forte e quer saber mesmo? Eu cansei disso tudo.
- Vanessa vamos dormi, você esta nervosa amanhã a gente conversa. –tentei segura-la pelos braços.
- Não encosta em mim. –ela passou por mim e subiu as escadas feito furacão. A porta do andar de cima foi batida com força e apenas soltei o ar, porque porra mesmo eu troquei o nome delas? Ou melhor por que porra ela estava em meus pensamentos?

Pov. Vanessa

Raiva era pouco pro que eu estava sentindo, eu precisava sair daqui porque seu o visse na minha frente iria voar no pescoço dele e só soltar quando tivesse a certeza de que ele estaria morto. Eu precisava conversar com alguém e esse alguém era Sarah, troquei de roupa o mais rápido que consegui, peguei meu celular e as chaves do carro.
- Pra onde você vai? –o ouvi perguntar assim que cheguei à sala.
-Não é da sua conta. –falei séria enquanto andava em direção à porta.
- Vanessa por favor vamos conversar. –ele pediu tentando me segurar.
- Sai de perto de mim. –falei firme e ele ficou ali em pé parado me olhando. –Sai! –gritei e ele saiu.
Tirei o carro da garagem e dirigi o mais rápido possível, tentei não chorar e me concentrar na estrada afinal morrer agora não seria uma boa ideia. Uns vintes minutos dirigindo e eu estacionei o carro em frente ao prédio em que Sarah morava, desci do carro e como o porteiro me conhecia não tive problemas pra subi. Entrei no elevador e ali sim eu me permiti a chorar tudo o que tinha chorar.
- Nessa? –Sarah perguntou surpresa, por sorte ela estava acordada ainda. –Ai meu Deus o que foi?
- Ai Sah. –falei chorando alto e recebendo um abraço apertado. Ela me ajudou a entrar e tudo o que fazia era chorar, chorar e chorar, estava doendo tanto. Quando eu finalmente chorei tudo o que tinha pra chorar Sarah me olhou.
- Agora me conta o que aconteceu. –contei tudo o que tinha acontecido e choro que antes tinha parado voltou pior que antes. –Zachary filho da puta. –ela falou dando um murro em uma pequena almofada.
- Eu tô arrasada Sah. –falei respirando fundo.
- E se a gente pegar essa Megan e dá uma surra? Mas bem dada mesmo? –ela sugeriu e sorri fraco.
- É o que mais quero. –falei fazendo um bico. –Mas ele também tem culpa.
- Ele a gente arranca o pinto. –ela falou serio e ri mais uma vez.
- Posso dormi aqui? –pedi fazendo uma carinha fofa.
- Claro né amiga. –Sarah me abraçou e depositou um beijo no topo da minha cabeça. –Eu vou fazer uma pipoca e brigadeiro ok? Vamos assistir alguma coisa pra você esquecer isso um pouco, pode ser?
- Claro. –sorri fraco. –Melhor isso do que ficar pensando em todas as formas de matar os dois.
Não demorou muito e Sarah voltou pra sala com a pipoca em uma mão e o brigadeiro em outra. Procuramos por alguma coisa e acabamos assistindo uma das series em quem Sarah era viciada, horas depois ela caiu no sono e eu apenas pensei no que tinha acontecido e voltando a chora.
Sarah dormia tão tranquilamente que chegava a roncar e eu ri da cena, ela deitada completamente torta, de boca aberta e som estranho ou melhor o som do seu ronco quebrando o silencio do apartamento dela, acho que esse seria o problema dos caras simplesmente sumirem na manha seguinte. Ao contrario da loirinha eu não consegui dormi, por mais que Sarah fosse minha amiga ninguém no mudo poderia substituir a Sel nessas horas.
Caminhei ate o quarto de Sarah e sem qualquer cerimonia eu liguei seu notebook e rezei mentalmente para encontrar Selena no Skype e para o meu alivio ela estava.
- Moreeenaaaaaaa! –ela gritou assim que pode me ver pela webcam.  –Puta nem me liga mais né? –ela fez um bico e eu ri.
- Desculpe morena. –falei com a voz falha por conta do choro. –Sou uma péssima amiga eu sei disso.
- Verdade mais mesmo assim eu continuou te amando. –ela falou rindo. –O que foi? –ela perguntou assim que parou de ri.
- O Zachary. –falei com lagrimas nos olhos.
- O que ele aprontou?
- Nada. –falei já chorando de novo.
- Ata. –ela soltou uma risadinha. –Minha melhor amiga esta ao prantos praticamente do outro lado do mundo por nada.
- Como anda a vida? –tentei mudar de assunto em vão é claro.
- Pode falar quem é e eu mato. –Ashley falou aparecendo e eu sinceramente me assustei. Há um bom tempo eu esta longe delas tanto fisicamente como tecnologicamente.
- Para de idiotice Ashley.
- Ué já matei um e matar mais um não será problemas.
- Cala a boca. –falei tentando fazer uma voz autoritária
- Serio Vanessa o que o Zachary fez? –Sel insistiu.
- Fala logo ou serei obrigada ir ate ai pra te bater. –Ashley falou fazendo uma voz de brava.
Respirei fundo e como não tinha mais como negar resolvi contar tudo de uma vez.

Pov. Zachary

Eu estava cansado, com sono e com a cabeça a ponto de explodir, mal dormi essa noite e já era hora de ir trabalhar. Vanessa ainda não tinha voltado e a cada tentativa de falar com ela pelo o celular era em vão e isso só me deixa mais irritado ainda, eu estava jogado no sofá e levantar pra ir ate o banheiro foi uma missão praticamente impossível. Tomei um banho e quando terminei vesti minha roupa assim que terminei liguei para uma agencia de taxi já que Vanessa havia saído com meu carro, enquanto esperava tentei ligar pra Sarah precisava saber pelo menos como Vanessa estava.
Ligação on:
- Sarah? –falei assim que a mesma atendeu recebi o silencio como resposta e provavelmente as duas discutiam sobre falar ou não se ela estaria lá.
- Oi.
- Me diz pelo menos se a Vanessa está bem. –pedi e meu tom de voz entregava o cansaço que estava em meu corpo.
- Ela não tá aqui.
- Claro que tá Sarah. –respirei fundo. –Só me diz como ela tá. –pedi.
- Mal né Zachary –senti a raiva tomar conta de sua voz.
- Faz ela voltar pra casa.
- Vem buscar ela ué.
- Cuida dela por enquanto.
- Tá bom, vou desligar que ela está voltando.
Ligação off:
Eu pisei e feio na bola com a Vanessa e precisava urgentemente arrumar um jeito de me desculpar com ela só que nem eu sei como vou fazer como reparar um erro de tal tamanho? Isso ia ser difícil muito difícil. O taxi finalmente chegou e eu sai indo em direção ao mesmo, dei o endereço do colégio e não demorou muito para que o carro parasse em frente ao colégio.
- Hey Zachary. –ouvi Megan me chamar fiz a minha melhor cara e virei para olha-la, espera por que ela estava aqui e logo pela manha?
- Oi Megan. –ela chegou perto de mim e nós cumprimentamos com dois beijos. – O que faz aqui?
- Estou indo pro shopping, mas acabei esquecendo a minha carteira ontem dentro do armário. –ela sorriu e começamos a andar. –Algum problema com o carro?
- Não, a Vanessa precisou dele.
- Hum. –ela espremeu os lábios. –O que aconteceu?
- Nada. –menti. –E voce está melhor?
- Sim. –ela sorriu fraco. –Obrigada por ter ido me encontrar.
- Não foi nada.
- Tem certeza que não aconteceu nada?
- Foi só uma briga com a Vanessa.
- Culpa minha?
- Não, claro que não. –sim mas não ia dizer a verdade.
- Que desabafar? Voce me ouviu ontem e hoje é a minha  vez.
- Não…
- Vamos tomar ao menos um café? –ela me interrompeu. –Ai você decide ou não se quer falar.
Assenti e como era cedo ainda demos meia volta e saímos do colégio indo em direção a cafeteria próxima que tinha por ali.

Pov. Vanessa

- O que ele queria? –perguntei assim que ela desligou o celular.
- Pediu pra cuidar de você.
- Coisa que ele não faz. –fiz um bico. –Eu vou aproveitar que ele não está em casa e ir lá tomar um banho, trocar de roupa.
- Você vai pra faculdade?
- Não, eu to sem cabeça pra passar a manhã em sala de aula.
- E vai ficar presa em casa?
- Não, vou dá uma volta no shopping e tentar esfriar a cabeça.
- Eu não posso faltar então beijos e sinta-se em casa.
- Beijos.
Tomei um café rápido e dei uma geral no apartamento da Sarah já que parte da culpa de tudo está uma bagunça era minha. Assim que cheguei em casa subi as escadas indo direto pro banheiro, tentei não pensar muito no que tinha rolado naquele quarto na noite anterior porem foi em vão a voz dele gemendo pela Megan ecoava em meus pensamentos.
Me arrumei o mais rápido que consegui e segui para o shopping, tentei o máximo possível me distrair enquanto olha as vitrines e quando finalmente consegui ouvi chamar pelo nome ao meu lado, e quando virei vi Alexander sorrindo e automaticamente sorri.
- Oi. –ele sorriu fraco.
- Oi. –sorri também.
- Perdendo aula Hudgens? –ele falou e o olhei rindo.
- Um sujo falando do mal lavado? –perguntei o olhando.
- Esqueci disso. –ele riu alto. – Pelo visto está sozinha certo?
- Sim, a Sarah foi pra faculdade e o… –não, não iria falar dele.
- E o? –ele perguntou.
- Nada, esquece.
- Então vamos dá uma volta? –eu ia recusar mas sinceramente? Eu queria sim me distrair e conversar com alguém que não fosse Sarah era uma boa opção.
- Vamos.
Começamos a andar lada a lado enquanto entravamos em uma conversa animada.

Pov. Zachary

Passei a manhã inteira tentando ligar pra Vanessa porem era a mesma coisa, chamava, chamava e acabava caindo na caixa postal. A minha única saída era ligar pra Sarah e pedir pra falar com ela, eu sabia que ela não atenderia e que Sarah não passaria o celular pra ela mas eu tinha que tentar.
Ligação on
- O que foi agora Zachary? –ela perguntou assim que atendeu.
- Quero falar com a Vanessa.
- Numero errado meu querido.
- Engraçadinha. –forcei uma risada e fiquei sério em seguida. –Passa pra ela Sarah.
- Ela não está comigo.
- Por favor, Sarah. –implorei.
- Sério Zachary, ela não veio pra aula hoje.
- Ela disse pra onde iria?
- Não.
- Por favor.
- Ela disse que precisava se distrair ok? Acho que ela foi dá uma volta no shopping. –ela suspirou  e com isso senti o quanto ela se sentia mal por ter me falado. –Eu não deveria ter falado depois do que você fez.
- Eu pisei na bola eu sei.
- Não meu amor. –ela falou séria. –Pisar na bola é apelido.
- O que eu faço pra ela me perdoar? –perguntei com a esperança que ela poderia realmente me ajudar.
- Pedindo ajuda pra pessoa errada. Eu nem sei se tem desculpas pra merda que você fez e se eu fosse ela eu arrancaria seu pinto da forma mais lenta e dolorosa da face da terra.
- Eu me viro.
-Tchau. –ela falou rindo.
Ligação off
- Ué não foi almoçar? –Megan perguntou entrando na sala.
- Estou sem fome.
- Hum. –ela colocou suas coisas sobre a mesa e sentou na cadeira logo em seguida. –Falou com a Vanessa?
- Não. –espremi os lábios. –Ela não atende o celular e não está com a amiga dela, parece que está no shopping.
- Ah é verdade eu encontrei com ela. –ela falou prestando atenção no que estava fazendo.
- Você falou com ela? –perguntei com um certo medo da resposta.
- Na verdade não, eu a vi de longe.
- Ah. –respirei aliviado.
- Ela parecia feliz.
- Como assim?
- Ah ela estava com um cara, os dois riam e conversavam animadamente. –o sinal tocou e Megan levantou. –Até mais tarde.
- Até.
Que porra é essa? Como assim ela estava em um shopping com um cara e estava rindo? Ontem ela queria me matar e hoje simplesmente esta em um shopping com um cara, ela teria que me explicar isso e muito bem.

Pov. Vanessa

À tarde com Alexander ou Alex como ele disse preferir ser chamado foi agradável, conversamos, rimos, falamos de todos os assuntos possíveis e eu me senti leve, por um momento eu me esqueci de tudo que estava acontecendo e se concentrei em curti o momento.
Liguei pro escritório e dei uma desculpa qualquer pra evitar ir trabalhar hoje, aproveitei que ainda era cedo e fui pra casa, tomaria um banho e pegaria algumas roupas pra voltar pra casa de Sarah, eu não queria e nem estava pronta pra vê-lo, porem a vida adora me surpreender e assim que abrir a porta de casa o vi sentado no sofá, obviamente deu uma desculpa qualquer e conseguiu se livrar de uma tarde de aula. Respirei fundo e fechei a porta passei por ele indo direto pra escada quando sua voz quebrou o silencio.
- Onde estava? –ele perguntou com aquele tom de voz ridículo quando quer cobrar alguma coisa de mim.
- Não te interessa. –falei ainda parada em pé no primeiro degrau porem não tinha me virado.
- Não precisa esconder. –senti seu olhar furioso sobre as minhas costas e eu franzi o cenho. –Eu sei que você estava com o seu “amigo” no shopping. –virei a tempo de vê-lo fazer as aspas com os dedos. –Eu não esperava esse tipo de atitude vindo de você.
- Do que voce esta falando mesmo? –cruzei os braços e o encarei.
- Do seu amante.
- Quem trai aqui não sou. –falei seria.
- Você é pior que vadia qualquer.
- Não me confunda com a puta da sua amiga. –era a primeira fez que eu ouvi Zachary falar de tal forma comigo e aquilo era pior que um tapa. –E quem você pensa que é pra me cobrar alguma coisa?
- Seu noivo? –ele perguntou como se fosse obvio e era.
- Acho que não. –falei sem muita certeza na voz. –Eu cansei disso tudo, cansei de você, cansei dessa rotina ridícula, cansei de pagar como a noiva perfeita.
- Então tudo era apenas fingimento?
- Não Zachary. –gritei o vi pular por conta do susto. –Eu ainda te amo, eu ainda te quero, eu ainda quero você na minha vida mas desde que você conheceu aquela mulher simplesmente mudou, mudou pra pior, o Zachary que eu antes caia de amores simplesmente sumiu, o Zachary que antes dizia me amar eternamente sumiu, o Zachary que prometeu nunca me fazer chorar está quebrando a porra da promessa. –falei tentando fazer com que as lagrimas não saíssem. –Eu cansei de tudo.
- Como se voce não tivesse mudado. –ele me olhou. –A Vanessa que me amava estava hoje na porra de um shopping com um outro homem.
- Quer saber? Pra mim chega, não dá mais. –o olhei e ele entendeu tais palavras o que me doeu mais ainda afinal eu queria sim que ele entendesse e ao mesmo tempo queria que sei lá se ajoelhasse ali e pedisse perdão por tudo, queria que ele se mostrasse arrependido.
-Acabou? –ele perguntou me encarando e por um momento eu achei que ele queria aquilo de verdade.
- Acabou. –falei em tom de voz quase inaudível ele me encarou por um segundo e deu as costas saindo pela porta. Cai sentada ali mesmo naquele degrau e deixei as lagrimas rolarem, queria apenas acordar disso tudo e perceber que tudo não passou de um pesadelo.

Pov. Zachary

Nunca pensei nesse dia, ou melhor, nunca se passou pela minha cabeça que isso poderia, talvez acontecer eu  apenas eu tivesse a impressão de que tudo seria pra sempre. Eu dirigia sem ter ideia pra onde ir e quando me dei conta estava parado em frente ao prédio de Sarah, ela sim seria uma boa ouvinte sempre foi desde que a conheci e sabia que agora não seria diferente.
 - Zachary? –ela perguntou surpresa.
- Oi. –forcei um sorriso o que foi em vão já que as lagrimas que estavam lutando pra sair desde que eu ouvi da boca dela que tudo tinha acabado.
- Entra. –ela falou abrindo a porta. Caminhei ate o sofá da pequena sala e sentei apoiando meu rosto nas mãos. As lagrimas rolaram pela minha face e essa historia de que homem não chora é pura mentira ou nunca perdeu o amor de sua vida. – Em primeiro lugar eu deveria lhe dá uns bons tapas. –ela sentou ao meu lado. –Mas pelo que vejo alguma coisa pior que tapas já aconteceu.
- A Vanessa terminou comigo. –falei com a voz embargada e limpando o rosto.
- Eu sinto muito. –ela falou baixo. –Mas a culpa foi sua. –ela voltou pro seu tom de voz normal. –Tinha que gemer justo o nome daquela mulher? Podia pelo menos ter gemido por mim. –ela falou e riu logo em seguida e com isso foi impossível não ri. –Você está rindo ponto pra mim.
- O que eu vou fazer sem aquela mulher? –ergui a cabeça para olha-la. – Eu não posso perdê-la.
- Você só vai perdê-la se quiser. –ela falou firme e aquilo era verdade. –Ela te ama Zachary.
- E por que estava com outro no shopping?
- O que você sabe disso?
- Ela estava em shopping rindo e conversando com um cara é tudo o que eu sei.
- E você queria o que? –ela me olhou. –Que além de chorar a madrugada inteira a Vanessa ficasse pressa em casa chorando por que o homem que ela ama está atraído por outra?
- Eu não estou at…
- Está sim. –ela me interrompeu. –Se não estivesse, não estaria pensando nela justamente na hora que pensou. –pensei por um momento e ela tinha razão. –Sentir atração por alguém é normal, mas você poderia ter controlado isso sabe? A não ser que você queria realmente uma transa com essa mulher.
- E se eu fizesse? Estamos separados agora.
- O corpo está. –ela respirou fundo. –Mas e o coração? Os pensamentos de vocês será que estão mesmo separados?
- Não. –espremi os lábios. Ela estava certa realmente o meu coração, o amor e os meus pensamentos ainda pertencia a ela.
- Eu acho que agora o melhor mesmo é você deixa as coisas se acalmarem sabe? –assenti. –Deixa essa raiva da Vanessa passar, deixa ela esfriar a cabeça, deixa você esfriar a cabeça e assim tente conversar com ela.
- Você está certa. –respirei fundo.
- Eu sei, poderia ser psicóloga de casal. –balancei a cabeça em negação e ela riu.
Fiquei por ali mais um tempo conversando e rindo de Sarah, ela era o tipo de amiga que fazia de tudo um pouco pra não te ver triste e sempre conseguia.
Coloquei o carro na garagem e entrei vendo uma Vanessa sentada em um degrau com a cabeça sobre o braço e com o mesmo alguns degrau acima dormindo, caminhei a passos lentos ate ela e vi como seu nariz estava completamente vermelho consequência de horas de choro, fiz um leve carinho em suas bochechas e um pequeno sorriso se formou em meus lábios se misturando com as lagrimas, eu tinha a feito chorar coisa que prometi nunca fazer. Com muito cuidado a peguei no colo, ela se aconchegou ali levei a mesma para o nosso quarto e a coloquei deitada na cama sai logo em seguida fechando a porta e indo para o quarto de hospedes.

Pov. Vanessa

Abri meus olhos devagar ate que os mesmo se acostumasse com a claridade que invadia meu quarto, o som da campainha vindo do andar de baixo era insuportável e quanto mais eu demorava pra descer e ver quem era a pessoa afundava o dedo na campainha. Sentei na cama tentando ignorar aquele som e olhei o local, nem sinal dele. A campainha ainda tocava e eu respirei fundo descendo as escadas e quando abri a porta ela estava lá.
- Pensei que ia me deixar do lado de fora. –ela falou entrando.
- Por que você está aqui?-eu não podia acreditar que era ela.
- Eu também senti sua falta. –ela falou sorrindo. –AAAAAAA morena. –ela gritou largando as malas no chão e pulando em meu colo. –Que saudades de você sua vadia.
- Idiota. –falei a abraçando forte. –Que bom que está aqui. –falei enquanto a apertava mais ainda em um abraço.
- Eu precisa vir. –ela falou me solando. –Você continua linda que merda! –ela falou fazendo um bico.
- Você também está linda e a bunda. –dei um aperto em sua bunda e recebi alguns tapas. –Tá mais gostosa que antes.
- Idiota. –ela falou rindo. –Tem um cantinho para a minha humilde pessoa nessa casa?
- Olha tem a casa do cachorro serve? –ela me olhou incrédula e eu ri. –To brincando ate por lugar de vacas é em pasto.
- Eu to impressionada com esse seu amor que só fez aumentar. –ela riu. –Serio me diz que tem um quarto aqui.
- Claro que tem. –a ajudei com as malas e a guiei ate um dos quartos no andar de cima. Acho que nunca falei o quanto a casa era consideravelmente grande já que no andar de cima havia três quartos dois dele eram suítes, no andar de baixo tinha mais uma suíte, a cozinha e a sala, nos fundo uma piscina e um enorme espaço pra receber os amigos em um final de semana pra churrasco, na frente um pequeno jardim que por incrível que pareça estava bem cuidado.
- Estou morta. –Sel se jogou na cama. –Ai meu Deus que cama é essa senhor? –ela falou se espreguiçando.
- Por que está aqui? –perguntei a olhando.
- Férias minha querida Vanessa. –ela sorriu.
- Já? –faltava meses pras férias.
- Eu consegui a melhor nota que a faculdade já teve em dez anos e com isso eles decidiram que eu estava liberada. –ela sorriu largo. –Estudar e muito vale a pena.
- Quem diria. –falei rindo.
- O que aconteceu? –ela me olhou. –Ainda é aquele lance?
- Você acabou de chegar morena não precisa me ouvir, deve esta cansada.
- E estou. –ela falou com sinceridade. –Mas não o bastante pra deixar de te ouvir. –ela abriu os braços e eu simplesmente a abracei.
- Acabou Sel. –falei já chorando. –Eu terminei com o Zachary.
- Sinto muito amiga. –ela falou baixo fazendo um leve carinho no meu cabelo. Contei tudo que tinha acontecido e como sempre ela me aconselhou.






Hey minhas lindas,
primeiro eu devo um pedido de desculpas pelo sumiço,aconteceu uns probleminhas com o computador,mas tudo resolvido. Estou de volta e agora até o fim com a história hehe
Espero que gostem e comentem muito viu
Até qualquer minuto kk
xoxo

6 comentários:

  1. Porra o Zac ficou louco ou o que???
    Pqp,gemer o nome da Meganvagaba?
    Nossa, a Vanessa fez certo de terminar com ele e espero que ainda faça ele sofrer maus ainda,principalmente depois de chamar ela de vadia
    Morrendo de raiva dele
    Continua logo,tava com saudades
    Xx

    ResponderEliminar
  2. Não acredito que o Zac fez isso!!
    Estou muito ansiosa para o próximo capitulo, não demore a postar hahaha estava com saudade da fic.
    Xoxo. ❤

    ResponderEliminar
  3. Você voltouu!!! Uhuuuulll... Nao acredito que o Zac foi tão canalha a ponto de gemer o nome de outra. A Vane tem que fazer ele sofrer mesmo. Posta mais logo ru senti muitas saudades da sua fic. Bjoss

    ResponderEliminar
  4. Meu deusssss
    O zac e um burro
    Posta logo amore, amor sua fic
    😍😘

    ResponderEliminar
  5. Ai mds ,q cap triste 😞 ai q vontade de socar a cara da Megan 😤 e do zac tbm

    ResponderEliminar
  6. Aaahh continuaaa a sua fic é perfeita.

    ResponderEliminar