terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Capítulo 14 - Último

Pov. Vanessa
- Como assim não sabe Sel? –falei jogando a mochila em um canto qualquer e sentando na cama.
- Lê a carta e você vai entender. –ela falou enxugando algumas lagrimas que caia. Respirei fundo e encarei aquela bendita carta por alguns segundos, eu sabia que dali não vinha boa noticias afinal a Ashley simplesmente sumiu. Quando um momento de coragem tomou conta do meu corpo eu simplesmente abri o envelope e retirei o papel de lá.
Carta mode on:
“morena minha, em primeiro lugar quero pedir desculpas por ter simplesmente sumido assim sem ao menos um abraço. Lembra quando tínhamos treze anos? Eu, você e a Sel? Lembra da promessa em que fizemos depois que um menino fez você chorar? Qualquer garoto que fizesse uma de nós sofrer, sofreria o dobro. Com o Austin foi diferente, a morte pra ele não foi um sofrimento e sim um alivio, ele estava louco e cego de raiva por você ter escolhido o Zachary e não ele. Eu o matei sim e não me arrependo por isso, afinal eu acabei poupando você e o Zachary de serem infelizes. Confesso que ter o matado foi como uma vingança da minha parte já que ele fez questão apenas de transar comigo, tentar me convencer a ajuda-lo e de ter te ouvido dizer que ele a amava no dia seguinte… Eu o amava isso não era segredo pra ninguém ou melhor só não via quem não queria, não se sinta culpada por ter sido um motivo para que tudo isso acontecesse, não se sinta culpada por nada que tenha acontecido. Queria e muito dizer onde estou mais a verdade é que nem eu sei para onde vou, escrevo essa carta minutos depois  de ver você no chão com um tiro no peito e de ter disparado contra o Austin… Só quero que você volte a ter sua vida, só quero que você seja Vanessa alegre, linda, carinhosa, amiga e fofa de sempre, só quero poder voltar um dia e ver como você estará feliz ao lado do Zachary e quem sabe de seus filhos. Não posso dizer que voltarei tal dia afinal eu não sei por quanto tempo a policia irá correr atrás do assassino do Austin e se eu voltar agora, com certeza serei suspeita… morena minha, nunca se esqueça do quanto eu te amo não só como amiga mas também como uma irmã, sentirei sua falta mas um dia eu voltarei.”
Carta mode off:
Assim que terminei lagrimas e mais lagrimas tomaram conta do meu rosto.
- Por que ela fez isso Sel? –perguntei entre os soluços. –Ela não…
- Não deveria mais fez. –Selena respirou fundo. –Eu só quero saber onde ela está.
- É por causa da morte do Austin que todos no colégio estão falando de mim? –eu já sabia que sim, só queria ter certeza.
- Quando souberam da morte dele e que foi digamos o motivo, muita gente disse que você tinha culpa sim. –Selena me olhou. –Mas sabe que você não teve culpa.
- Como não Selena? –passei a mão no rosto. –Se eu tivesse ficado com ele nada disso teria acontecido.
- Você ama o Zachary. –ela falou firme. –Não prevíamos que tudo ia acontecer, não se sinta culpada.
Não respondi fique ali apenas olhando pra nada e pensando. Será mesmo que eu não tive culpa? Se eu tivesse ficado com o Austin ele ainda estaria vivo e a Ashley ainda estaria aqui.

Algumas semanas haviam se passado desde que eu tinha lido a carta de Ashley, vez ou outra ela dava um jeitinho de dizer que estava bem, mas é claro sem dizer onde realmente estava.
Era uma manha de sexta-feira e para melhorar era um feriado, minha mãe teve uma de suas ideias super legais de fazer um almoço em família, ou seja, eu teria que aguentar algumas tias chatas e alguns pirralhos correndo pela casa. O lado bom disso tudo era que nem todas as tias eram chatas, a Tia Ju era melhor entre todas. Ela era a irmã mais nova do meu pai e apesar dos seus trinta anos se comportava como uma pessoa da minha idade, dos primos os únicos no qual eu me dava muito bem e gostava realmente era apenas três deles, tínhamos a mesma idade e isso fez com que crescemos juntos e unidos. Já única criança que realmente amava e fazia questão de poder vê-la sempre era a Jade, ela tinha apenas seis anos e sua aparência física e em alguns momentos seu comportamento eram assustadoramente idênticos ao meu acho que eu tive uma filha e não fiquei sabendo.
- Preparado para conhecer meus parentes senhor Efron? –falei baixo em seu ouvido já que eu abraçava o mesmo por trás. Estávamos nos fundo da casa terminando de arrumar a enorme mesa que era sempre colocada ali para essas ocasiões.
- Não. –ele falou virando-se e agarrando a minha cintura. –Se eu sair correndo feito um desesperado, você vai me achar um frouxo?
- Sim. –respondi o olhando. –Não precisa entrar em pânico.
- Ah não, eu só vou conhecer os familiares da minha namorada de uma única vez.
- Não vai ser tão ruim assim. –ele resmungou algo que não consegui entender. –Você só terá que lidar com três primos fazendo perguntas do tipo “Quais suas reais intenções com ela?” ou ameaças do tipo “Se fizer a morena sofrer ou chorar, considere-se um homem morto.” - ele fez uma expressão de assustado eu comecei a rir. Ele me olha com uma cara de “E você ainda ri?” respirei fundo e continuei. –Sem contar na tia Ju que é super discreta então não se assuste quando ouvir alguma coisa do tipo “E ai Zachary como é a Vanessa na hora do sexo? Ela é do tipo mais safada ou santinha nessas horas?” –ele arregalou os olhos eu ri alto.
- Isso é serio? –apenas balancei a cabeça confirmando enquanto tinha um ataque. Ouvimos a campainha tocar e eu senti seu corpo ficar tenso.
- Não tem mais pra onde fugir. –falei ainda rindo e depositando um rápido selinho em seu lábios, iria ser mais que um simples selinho se uma magrelinha de cabelos cacheados não tivesse passado pela porta dos fundos chamando pelo meu nome e correndo em minha direção tivesse atrapalhado.



****


Pov. Zachary
Os primos da Vanessa me olhavam de cima a baixo e aquilo já estava ficando chato, não era possível que eu os visse de fato me olhando, mas eu sentia os olhares deles pesando sobre mim. Vanessa conversava animadamente com a tia Juliana ou Ju como ela preferia ser chamada, eu estava agarrado a sua cintura e acho que dali não sairia tão cedo.
- V me leva pra comprar sorvete? –Jade falou parando ao nosso lado. Eu e Vanessa parecíamos dois gigantes ao lado da pequena, a moreninha de cabelos cacheados era uma copia fiel da Vanessa. –Por favor. –ela juntou as duas mãozinhas e fez um bico fofo, bico igual ao que Vanessa fazia em muitas vezes durante as nossas brigas.
- Vamos? –ela falou virando um pouco a cabeça para me olhar.
- Claro. –falei sorrindo e naquele momento soltei a sua cintura porem agarrei a sua mão.
- Vamos lá. –Vanessa falou sorrindo e a menina saiu correndo na frente. Jade andava pela calçada um pouco na nossa frente, ela segurava um carinho de bebê de brinquedo é claro e dentro tinha uma boneca que ela dizia ser sua filha. Era engraçada a forma com que ela se vestia, tão pequena e com um estilo patricinha de ser era uma mine-mulher.
- A nossa filha será igual a Jade? –perguntei sem tirar os olhos da menina. Eu e Vanessa andávamos lado a lado, eu a segurava pela cintura enquanto um de seus braços também envolvia a minha cintura.
- E teremos uma filha? –ela falou me encarando e eu a olhei com uma sobrancelha arqueada, o que isso queria dizer? –E se for um menino? –juro que vi seus olhos brilharem provavelmente imaginando como seria um filho nosso.
- Por um momento eu achei que iria ouvir “E quem disse que você será o pai da minha filha?” –confessei respirando um pouco mais aliviado.
- Você é o homem que eu quero pra forma uma família. –ela falou sorrindo largo e se erguendo um pouco pra beijar a minha bochecha, eu ate iria responder mas tínhamos acabado de chegar na sorveteria.
Vanessa ajudou Jade a escolher o que ela queria de fato e as duas pareciam ter a mesma idade ao escolher os sabores e a enorme variedade de coisas que tinha por ali. Quando terminei de pagar sentamos em uma pequena mesa, Jade se deliciava com o seu amontoado de sorvete de chocolate e ria alto sempre que Vanessa fazia uma palhaçada assim que as duas terminaram de comer, Jade insistiu em brincar alguns segundos no pequeno parque tinha ali.
- Por favor, V. –ela juntou as mãozinha novamente.
- Vai lá Jade. –falei a olhando e ela sorriu largo. –Pode brincar um pouco. –ela sorriu em agradecimento e saiu correndo em direção ao parquinho.
- Ela gostou de você. –Vanessa falou me olhando. Ela tinha uma de suas mãos entrelaçadas a minha e a outra fazia um leve carinho em minha nuca.
- Alguém tinha que gostar. –fiz um bico e ela riu baixinho. –Seus primos só faltaram me matar com os olhares.
- Não significa que eles te odiaram.
- E significa o que mesmo?
- Eles são ciumentos, pra eles eu ainda sou uma menina inocente e indefesa como a Jade.
- Hum. –ela sorriu fraco e colou seus lábios nos meus.
- O que mais importa eu amar você ou eles gostarem de você?
- Voce me ama? –ela me olhou como se fosse obvio demais e com se aquela pergunta fosse um tanto estupida. –Eu prefiro ficar com a parte em que você me ama.
- Eu sabia. –ela falou sorrindo e aproximando seu rosto do meu iniciando um beijo.
Ficamos ali em um clima romântico ate que Jade veio ate nós, ela coçava os olhos e sua carinha de cansada já entregava o quanto ela queria apenas dormi. Vanessa pediu alguns segundos e foi ate o banheiro, Jade se aproximou de mim e sentou-se em meu colo e quando eu dei conta ela já estava aninhada em meus braços com os olhos fechados e com a respiração suave, a pequena Vanessa havia caído no sono e assim que a verdadeira voltou eu levantei e tomamos o rumo de casa.

Assim que chegamos em casa Vanessa tomou Jade em seus braços e seguiu em direção ao quarto, ouvi risadas altas vindo dos fundos e caminhei ate lá encontrando apenas Gina e a Juliana.
- Hey pensei que tinha sequestrado a minha filha. –Juliana falou me olhando e sorri sem jeito.
- Conseguir fazer com que Vanessa desistisse da ideia. –falei e ela riu alto.
- E onde elas estão? –Gina falou apontando para uma cadeira vazia que estava ao lado dela e de frente para Juliana.
- Jade acabou dormindo e a Vanessa a levou para o quarto. –Juliana me olhou com um sorriso torto nos lábios e se aquele sorriso é algum tipo de herança familiar eu sabia que dali não viria coisas boas.
- Ótimo. –ela falou sorrindo e olhando para Gina que apenas ria alto provavelmente sabendo o que iria acontecer. –Mal conversamos e com a casa assim tendo apenas eu, você, a Gina e a Vanessa eu vou poder conhecer melhor o namorado da minha sobrinha.
- Oi? –gritei fingindo que ouvi a Vanessa me chamar. –Estou indo. –levantei mais Juliana me puxou fazendo com que eu sentasse novamente.
- Ah qual é? –ela falou rindo. –Esse truque é velho, não é nada demais Zachary. –ela falou suave e por um momento eu acreditei que seria apenas uma conversa normal. –Com que frequência você e a minha sobrinha andam transando?  -ok, quando a Vanessa disse que eu teria que enfrentar perguntas desse tipo achei que fosse algum tipo de brincadeira, e o pior não era a pergunta em si e sim por quem era feita e justamente na presença da minha sogra.
- Ér… ent… então. –comecei a gaguejar e Gina começou a ri mais alto ainda.- Eu passo. –falei a olhando completamente sem jeito.
- Ok. –ela falou segurando a risada. –Ela te excita muito rápido?-ok eu preciso apenas de um buraco bem fundo onde eu possa me enfiar e só sair uns dez anos depois, acho que em uma próxima reunião de familiares vou pensar e muito antes de aceitar participar. –Ela geme muito alto?
- Ate da altura dos meus gemidos a senhora vai querer saber? –Vanessa falou passando pela porta e sentando em meu colo. –Tia. –ela reclamou de uma maneira dengosa.
- Você sabe como ela é. –Gina falou tentando se controlar.
- Mas ele não. –ela falou e virou-se para me olhar. –Elas são loucas, não ligue. –ela depositou um rápido selinho em meus lábios e a vontade que eu tinha era apenas de enfiar minha cabeça em algum canto.
- Estou apenas brincando com você Zachary. –Juliana falou sorrindo. –É melhor voce ir se acostumando com o meu jeito doido de ser.
- Tudo bem. –sussurrei sem graça.
- Uma ultima pergunta. –ela falou e Lua revirou os olhos. – Vocês fazem um bom oral? –escondi meu rosto entre minha mão e rezei apenas para que Vanessa me tirasse dali.
- Meus melhores orgasmos começam apenas pela oral desse homem. –Vanessa falou meio que se gabando e nesse ponto eu não podia não concordar, modéstia a parte eu sei e muito bem fazer um oral. –Agora chega né? –Vanessa levantou e esticou a mão para que eu a pegasse e assim eu fiz. Ela me puxou e tomamos a direção de seu quarto. –Não ligue para ela. –ela falou entrando e trancando a porta assim que eu entrei.
- Eu preciso me acostumar com isso né? –sentei na cama e ela caminhou ate na minha direção e sentando em meu colo com uma perna de cada lado.
- A tendência é piorar. –ela falou quase como um sussurro enquanto distribuía leves beijos em meu pescoço.
- Onde está a Jade? –perguntei enquanto apertava forte a sua coxa recebendo como respostas um gemido baixo.
- No quarto da minha mãe. –ela falou em meu ouvido mordendo o modulo logo em seguida.
- Então vamos aproveitar. –a agarrei pela cintura e a joguei na cama, ela riu alto e me puxou pela nuca colando nossos lábios logo em seguida.


Zachary estava deitado por cima da morena, ele distribuía beijos e chupões pelo pescoço da mesma. A morena deu um jeito de forma habilidosa para inverter as posições, ela agora estava sentada sobre o membro de Zachary que já dava sinais de vida afinal ela não parava quieta o choque entre suas intimidades estava o enlouquecendo.
- Sem provocação morena. –ele reclamou com a voz rouca enquanto olhava a mesma retirar a blusa desvendando seus seios rígidos e convidativos.
- Esta falando disso? –ela se mexeu novamente e ele gemeu.
- Vanessa! –ele praticamente gritou ela riu alto. A morena se ergueu ficando em pé sobre a cama e retirando seu short desvendando uma calcinha de renda preta, Zac olhou aquele corpo que era complemente seu e quando finalmente acordou do transe retirou a própria roupa ficando apenas de box. Eles voltaram para a mesma posição e Vanessa riu safada ao sentir o membro dele já duro sendo coberto apenas pela box.
- Podia ter respondido pra tia Ju que eu não levo nem dez minutos pra te deixar excitado. –ela se abaixou selando seus lábios no dele antes que o mesmo respondesse algo, assim que se afastou os beijos passaram para o pescoço.  Zac pertava suas coxas e deslizava as mãos ate a bunda dela onde fazia questão de apertar com toda a força que tinha, Vanessa gemia manhosa e baixo no ouvido dele e aquilo foi digamos que o fim. Ele inverteu as posições deixando Vanessa completamente exposta na sua frente.
- Pronta pra ter um dos seus melhores orgasmos com apenas uma oral? –como resposta ele recebeu uma risada divertida. Zachary retirou o fino pano que cobria a intimidade da morena e riu satisfeito ao passar dois dedos ali vendo que a mesma se encontrava encharcada, o moreno abaixou-se e antes de começar o seu trabalho trilhou um caminho de beijos que começa na barriga completamente lisa da morena onde ele ia descendo aos poucos. Vanessa sentiu todos os pelo do seu corpo se arrepiar quando ele depositou um beijo em sua virilha, a morena já sorria feliz imaginando que seria agora a hora do prazer porem sentiu uma onda de raiva invadir seu corpo quando o mesmo desviou os beijos pelas suas coxas.
- Zaaac… Ah caralho! –antes mesmo de começar uma possível reclamação ela gemeu alto ao sentir a boca dele sugando o clitóris de uma forma surreal. Zac alternava entre chupa-la e estimula-la. –Oh céus! –Vanessa gemeu alto o suficiente pra ser ouvido por qualquer um naquela casa quando Zachary começou a estoca-la com dois dedos enquanto fazia um delicioso trabalho com a língua. Não demorou muito e Vanessa sentiu uma onda de prazer invadir seu corpo, ela agarrou os lençóis e ergueu um pouco as costas devido ao prazer, não demorou muito e ela se derreteu ali mesmo nos lábios e dedos do moreno. Ele depositou um rápido beijo na intimidade dela antes de subir, ficando sobre o corpo dela, ele selou seus lábios aos dela e quando se afastaram Vanessa tinha um sorriso satisfeito nos lábios.
Enquanto na sala todos riam dos barulhos vindo de um cômodo no andar de cima, um casal ofegava, Zac observava Vanessa completamente despida tentando absorver qualquer ar que pudesse, enquanto ele mantinha os dedos dentro da mesma, estocando-a de forma lenta e torturante, gemidos manhosos eram ouvidos, e aquilo só servia para deixa-lo mais excitado do que já estava.
—Zachaaary… por…Ahhh, favor.
—Por favor, o que?— ele sabia que a morena imploraria
—Por favor. — arfou— por favor me fode. -ele gargalhou pelas palavras proferidas. Sem mais delongas se posicionou entre as pernas da pessoa completamente insana a sua frente
Mesmo sabendo o perigo que corria provocou mais um pouco, penetrando apenas a “cabeça” de seu membro e tirando-a novamente, recebendo como resposta um olhar furioso, que provavelmente poderia ser mortal.
Repetiu o ato novamente, quando ia penetrar somente a glande se surpreendeu quando  Vanessa impulsionou o seu quadril para baixo causando uma penetração completa.
Antes que ele pudesse fazer qualquer ato de reprovação, a morena beijou os lábios do rapaz a sua frente. As línguas dançavam em sintonia com o movimento dos corpos suados, as bocas eram exploradas da melhor maneira. Os corações descompassados, por coincidência, ou não, batiam em sintonia. As mãos do moreno andavam por todo o corpo da moça, elas já conheciam todas as curvas. As mãos pararam em um ponto específico, os seios dela, lá elas apertaram o mesmo. As estocadas ficaram mais fortes e precisas, atingindo pontos quase desconhecidos.
Vanessa partiu o beijo para somente, soltar um gemido alto, com mais algumas investidas, a jovem conseguiu sentir espasmos desde o dedinho do pé até o último fio de cabelo, cruzou as pernas na cintura de Zachary e arqueou as costas violentamente cravou as unhas no ombro dele e gemeu, tão alto que suas cordas vocais arderam, Zac não parou, passou os lábios pelo pescoço frágil de Vanessa deixando ali algumas marcas levemente avermelhas a marcas roxas, desceu o beijo para seu colo até chegar ao vale dos seios, enquanto estocava procurando atingir o seu próprio prazer e prologar o da sua parceira,  chupava e mordiscava o seio direito, mas mesmo assim deu as devidas atenções ao esquerdo
Quando sentiu que sua hora havia chegado, uniu os seus lábios ao de Vanessa, na tentativa falha de conter os gemidos.
Vanessa achava que estava virando uma ninfomaníaca, pois lá estava ela gozando de novo, só que desta vez acompanhada pelo moreno. O gemido fora alto suficiente para ser ouvido na esquina
Aos poucos os movimentos pararam, e Zachary deixou seu corpo cair sobre o corpo da morena.
Esperaram as respirações normalizarem para então o moreno deitar-se ao lado de Vanessa. Mas ao fazer o ato ele “saiu” de dentro da morena.
—Hey, eu quero dormir, com você.
—Eu estou aqui com você. —o moreno riu, pois ele entendeu o que Vanessa quis dizer.
—Com você, dentro de mim.
Uma risada gostosa pôde ser ouvida, ele obedeceu ao pedido de Vanessa e voltou a ficar dentro dela. Dormiram de conchinha, um sentindo o outro.


*****


Pov. Vanessa
Acordei na manha seguinte sentindo o peso do braço de Zachary em minha cintura, abri os olhos com uma certa dificuldade por conta da claridade e quando finalmente consegui sorri o olhando dormi. Já tinha o visto dormi muitas vezes, mas mesmo assim me pego sorrindo feito uma idiota por ver aquele bico fofo que fazia enquanto dormia.
Conseguir levantar sem que Zachary acordasse, segui para o banheiro e tomei um banho gelado já que hoje o calor estava insuportável, fiz minha higienes matinas e quando sai do banheiro procurei por um  biquíni e um short e assim que encontrei  me vesti.
- Amor? –sentei ao lado de Zac distribuindo selinhos e beijos pelo seu rosto. Ele resmungou algo que não entendi fazendo um bico fofo logo em seguida. –Acorda vai. –pedi com uma voz dengosa beijando seu pescoço.
- Vamos dormi meu amor, é sábado. –ele falou ainda de olhos fechados.
- Por isso mesmo. –falei o olhando e ele abriu seus olhos me encarando. – O sol tá lindo, tá calor e a Jade adora uma praia que tal levarmos ela ate a praia?
- Tudo bem. –ele falou sorrindo.
- Te espero lá embaixo ok? –falei levantando.
- Não vai rolar nem um beijo antes? –ele fez um bico e eu ri. Aproximei-me dele e selei nossos lábios, assim que o ar faltou nós separamos com selinhos.
- Não demore. –pedi e sai do quarto fechando a porta atrás de mim.
Todos estavam reunidos nos fundos da casa na mesma mesa em que havia acontecido o almoço um dia antes, todos conversavam normalmente isso ate eu parar na porta e todos eu disso todos os olhares virarem para minha direção. Cerca de dez pessoas me olhava e eu olhei pra cada um tentando descobri o porque de está sendo encarada de tal forma e assim que olhei pra tia Ju e em seguida pra minha mãe ambas tinham um sorriso nos lábios.
- V ate que enfim você saiu do quarto. –Jade falou parando ao meu lado, ela tinha um bico fofo nos lábios e eu me curvei ficando na sua altura.
- Desculpa princesa. –dei um breve beijo em sua bochecha. –Eu estava cansada.
- Deveria está mesmo. –Tia Ju falou rindo e ai eu entendi o motivo de todos aqueles olhares.
- Vamos tomar um café da manha bem reforçado e depois ir pra praia? –perguntei ignorando totalmente todos.
- O Zachary vem também? –assenti e Jade sorriu. –Eu gosto dele. –ela sorriu fraco e saiu correndo para sentar em uma cadeira fazia. Caminhei ate ao lado em que minha mãe estava e comecei a me servi, finalmente todos voltaram para as suas conversas menos a minha mãe e a tia Ju é claro.
- E o Zachary? –minha mãe perguntou enquanto bebia o seu suco.
- Tomando banho, daqui a pouco ele desce.
- E ele saiu vivo despois de ontem? –minha tia falou com uma cara de safada.
- Vocês ouviram né? –eu sabia a resposta.
- Era meio impossível não ouvir. –minha tia falou rindo. –Você não geme tão baixo como eu achei.
- Você mesmo que quis saber com que frequência transamos. – a olhei.
- Eu só perguntei, não pedi uma amostra grátis.
- Só não deixe o Zachary sem graça. –pedi. –Se ele sonhar que vocês ouviram vai morrer de vergonha.
- Oh Zac, oh. –minha tia me imitou.
- Mãe. –a olhei com uma carinha fofa implorando para que ela fizesse a Ju parar.
- Chega Juliana! –minha mãe a olhou. –Chega que ele tá vindo.
- Bom dia. –Zachary falou assim que passou pela porta, todos retribuíram com um “bom dia” em conjunto. Ele caminhou na minha direção e parou ao meu lado envolvendo seu braço em minha cintura.
- Bom dia Zachary. –minha mãe sorriu simpática. –Dormiu bem?
- Sim. –ele falou sorrindo.
- E você ainda pergunta Gina? –minha tia falou e eu sabia que ia começar. –Depois da tarde de ontem é claro que ele dormiu bem.
- Me diz que elas não ouviram. –ele falou no meu ouvido.
- Nós e a vizinhança inteira. –minha tia falou rindo e Zachary abaixou a cabeça envergonhado sussurrando um “por favor me tire daqui” em meu ouvido. –Olha só Zachary. –minha tia chamou e ele se endireitou para olha-la. –Desculpe se deixo você envergonhado, só não quero passar uma imagem de tia chata sabe? Estou apenas zoando com a sua cara, me desculpe ok?
- Tudo bem. –ele falou sem graça. –Acho que com o tempo eu vou me acostumar com isso. –ele sorriu fraco.
- Eu sei que vai. –minha mãe falou sorrindo. –Agora sente-se e tomem um café bem reforçado afinal ir pra praia com a Jade exige gastar uma boa energia.
- E vocês tão precisando mesmo repor as energias. –minha tia riu alto e eu revirei os olhos puxando Zachary para sentarmos do outro lado da mesa.


*****

Apesar do calor infernal que fazia só Vanessa e Zachary optaram em ir a praia é claro levando a Jade. Assim que chegaram Vanessa retirou seu short e sua blusa desvendando seu corpo, Zachary apesar de ver e com frequência ela completamente nua era impossível não babar vendo-a ali com um micro biquíni, a morena sentou-se em uma cadeira e ajudou a prima a retirar a roupa.
- O que combinamos? –Vanessa perguntou enquanto passava protetor solar nas costas da menina.
- Nada de ir pra agua sozinha. –ela falou e virou-se ficando de frente para Vanessa, a morena a olhou esperando que ela terminasse. –Só com você ou com o Zachary, nada de falar com estranho e se acontecer alguma coisa de estranho eu saio correndo ou grito por você.
- Muito bem. –Vanessa falou sorrindo. –Agora pode ir brincar mas não vá muito longe.
A menina saiu correndo de um lado para o outro, ela tinha uma pipa nas mãos e a correria era uma tentativa de fazer a mesma subir. Zachary riu fraco e depois de observa-la por alguns instantes retirou sua roupa, ele usava uma sunga box branca e Vanessa mordeu o lábio inferior enquanto o olhava de cima a baixo.
- Sou gostoso eu sei. –ele falou com um sorriso safado nos lábios.
- Um convencido isso sim. –Vanessa falou revirando os olhos.
- Eu sei que você me acha gostoso.
- Cala a boca. –Vanessa falou rindo e deitando em uma espreguiçadeira. –E antes que você fale eu já sei. –ela falou virando o rosto para olha-lo.
- Falar o que? –ele perguntou confuso.
- Que eu sou gostosa.
- E eu que sou convencido? –ele perguntou rindo e sentando sobre ela. –Sabe o que eu queria agora? –ele a encarou.
- Espero que seja o que estou pensando. –ela falou sorrindo torto. –Algo que envolve nós dois pelados e você me fazendo gemer o mais alto possível.
- Exatamente. –ele sorriu torto e se inclinou para a frente ate alcançar os lábios dela. O beijo começou calmo mais não por muito tempo, Vanessa arranhava de leve o pescoço dele fazendo o mesmo se arrepiar, ele percorria com as mãos o corpo dela, alternava entre segura-la firme na cintura e em apalpar um de seus seios. Quando o ar faltou ao pulmão de ambos eles se separam com breves selinhos.
- Precisamos lembrar que estamos em um lugar publico. –Vanessa falou ofegante.
- Na próxima. –ele levantou porem se jogou na areia ao lado dela. –Ou não. –ele virou o rosto e roubou um selinho da morena, virou-se para a frente e observou Jade correndo. – É meio assustadora essa aparência de vocês. –Zachary falou olhando pra Vanessa e depois pra Jade.
- Eu gosto. –Vanessa falou sorrindo. –Eu vejo nela uma filha minha no futuro.
- Nossa filha. –Zac a corrigiu.
- Não aguento mais correr. –Jade falou ofegante e sentando sobre a barriga de Vanessa. –Por favor, Zac diz que sabe empinar pipa. –ela falou de uma forma fofa que fez Zac sorrir.
- Posso tentar. –a menina riu e Zac notou covinhas surgir na bochecha dela.
- Viu V. –ela virou-se para a morena. –Ele vai empinar pipa comigo coisa que você como prima deveria fazer. –ele fez uma voz de brava.
-Quero ver se você vai reclamar se eu for comprar sorvete. –Vanessa a olhou. –Vai? –ela balançou a cabeça negando e com apenas um pulo estava em pé.
- Vamos Zachary. –ela o chamou e começou a andar antes que ele se levantasse.


******


Meses haviam se passado e junto com eles, Vanessa e Zachary brigavam e se amavam, brigavam mais e se amavam mais ainda, nem as piores brigas eram capazes de separar o jovem casal.Na verdade ambos viam em cada briga que o amor entre eles era verdadeiro, ambos tinham a certeza que haviam nascidos um para o outro.
O final do ano se aproximava e junto com ele o encerramento do ano letivo todos estavam animados com a ideia de finalmente se formarem e se verem livres do colegial, porem ao mesmo tempo estavam tristes afinal a formatura do colegial significa apenas uma coisa: Os adolescentes imaturos que antes passavam as manhas jogando conversas fora com os amigos dariam lugar a jovens adultos quase prontos para enfrentar o mundo lá fora. Todos estavam eufóricos e ansiosos para a festa que teria logo mais a noite, todos exceto Vanessa.
- Eu ainda não acredito que você não vai está no baile. –Selena falou fazendo um bico. A morena decidiu não participar da festa, pois queria de uma vez por todas começar a sua viagem pela Europa, primeiro destino capital da França.
- Sem drama please. –ela pediu enquanto terminava de arrumar sua mala. –Não é nada demais esse baile.
- Claro que é! –Selena falou batendo o pé. –Poxa é a ultima vez que ficaremos realmente juntas. –ela falou com os olhos lagrimejados.
- Ai minha morena. –Vanessa a olhou e caminhou ate a mesma abraçando-a forte. - Sinto muito em não fazermos a faculdade juntas.
- A questão não é essa. Selena a olhou. –É só que eu não vou está com a Ashley e nem com você justo no ultimo dia em que estaremos com os nossos amigos.
- O Nick vai está lá não vai? –Vanessa a olhou.
- Sim.
- Então, não será muito melhor dá uma com o Jonas pelo colégio do que ficar comigo a noite inteira.
- Idiota. –Selena lhe deu um leve tapa.
- E você não disse que iria viajar com o Jonas pela Europa também?
- Disse.
- Imagina eu e voce em uma noitada pela Europa. –Vanessa falou sorrindo.
- Como se o Efron deixará você sair do quarto.
- Cala a boca. –Vanessa riu. –E me ajuda a terminar isso aqui. –ela falou voltando sua atenção para a mala.
Assim que as duas terminaram a aproveitaram o tempo que ainda restavam pra relembrar tudo o que viveram desde o dia em que se conheceram com seus onze anos ate os dia hoje, e olhe que entre brigas e brincadeira tinha muita historia pra contar.
- Temos boas historia pra contar aos nossos filhos e netos. –Selena falou sorrindo.
- Verdade. –Vanessa sorriu largo. –Os piores e melhores momentos da minha vida você e a Ashley estiveram presentes.
- Opa que eu ouvi meu nome. –Ashley falou parando na porta e riu alto da cara de espanto de Vanessa e Selena. –Que foi gente? Tão vendo fantasma por acaso? –ela falou ainda sorrindo.
- Eu vou te matar. –Vanessa falou levantando e correndo em direção a amiga pulando em seu colo logo em seguida o que não deu muito certo afinal Ashley acabou caindo.
- Ai acho que quebrei meus ossos. –ela falou fazendo uma cara de dor. –Sentiram minha falta?
- “Sentiram minha falta?” –Sel imitou a voz da irmã. –A bonita ainda pergunta.
- Eu sei que sou linda maninha. –ela falou convencida. –Então tá quase na hora do baile vamos nós arrumar ou por o papo em dia?
- Eu não vou. –Vanessa finalmente levantou e ajudou a amiga levantar.
- Vanessa Anne Hudgens dispensando uma festa? –Ashley falou surpresa. –O Efron tá mesmo fazendo gostoso hein?
- Ele sempre fez. –Vanessa falou fazendo uma cara de safada.
- O casal mais improvável do ano fará uma viagem pela Europa e a primeira parada é Paris. –Selena a olhou.
- E o casal mais provável do mundo ira logo em seguida. –Vanessa olhou para Selena.
- Perai. –Ashley falou e as duas viraram para olha-la. –Eu volto e vocês vão pra uma viagem pela Europa é isso?
- Exatamente. –Vanessa e Selena falaram juntas.
- Ótimo porque não vou ficar na cidade. –ela falou sorrindo. –Na verdade eu nem ia mesmo pro baile.
- E pra onde você vai? –Selena perguntou a olhado. –Você vai voltar né?
- Espanha e sim eu volto.
O tempo passou rápido e quando as três se deram conta já estavam prontas, Vanessa pronta para a sua viagem com o namorado pela Europa, Selena devidamente arrumada para o baile e Ashley que por coincidência sairia um voo com o mesmo horário que o de Vanessa. A morena se despediu dos pais e claro antes de sair ouviu milhões de recomendações, Selena junto com Nick acompanhou a amiga e a irmã ate o aeroporto, todos foram em único carro, o carro de Nick e o caminho ate o aeroporto havia sido silencioso, poderia ate ser frescura, mas as três sabiam que quando voltassem dessas férias mal teriam tempo pra se verem, afinal era chegando e se mudando para a cidade onde cursariam a faculdade e para a tristeza delas cada uma iria pra um lugar diferente.
- Tá quase na hora V. –Zac falou em um tom de voz baixo depositando um leve beijo na bochecha da morena.
- É acho que nós separamos aqui. –Selena falou tentando forçar um sorriso, porem lagrimas tomaram conta de sua face. –Vou sentir falta de vocês.
- Todas nós sentiremos. –Ashley falou abrindo os braços.
- Obrigada Ash. –Vanessa falou baixinho enquanto a apertava em um abraço. – Por tudo. –não foi preciso ser dito mais nada todas sabiam do que realmente se tratava.
- Prometam que nós vamos estar sempre juntas quando possível? –Selena pediu ainda abraçada a irmã.
- Prometemos. –Vanessa e Ashley falaram juntas.
- Eu amo vocês. –ela falou chorando mais ainda.
- E nós amamos você. –Vanessa abraçou forte. –Juízo morena. –Vanessa a segurou no rosto. –Nada de dá demais pro Jonas e acabar gravida.
- Faço das suas palavras as minhas. –ela falou sorrindo.
- Acho que nós vemos quando voltamos. –Ashley abraçou Selena e Vanessa uma ultima vez, despediu-se dos rapazes apenas com um “Tchau” e caminhou ate o check in. Vanessa e Selena se despediram com mais alguns abraços, ate que a ultima chamada do voo dela foi chamado, a morena soltou beijos no ar e entrelaçou sua mão a de Zachary e ambos caminharam.
- Esse sem duvidas foi o melhor ano. –Vanessa falou já sentada em seu lugar no avião.
- Olha que o ano ainda não acabou. –Zachary a olhou.
- Impossível algo mais surpreendente acontecer, acho que nada mais irá me deixar surpresa.
- Se eu fosse você não pensaria assim, afinal coisas muito boas podem acontecer.
- E vai. –ela sorriu. –Eu e você em Paris. –ela selou os lábios nos dele, e quando o ar faltou se separaram com breves selinhos. –Eu te amo. –ela sussurrou entre os lábios dele.
- Eu sei. –ele sussurrou de volta. –E eu também te amo. –ele selou seus lábios nos dela mais uma vez.




*****


Altos e baixos, brigas e reconciliações, amor e ódio fizeram parte da historia de Vanessa Anne Hudgens e Zachary David Alexander Efron.
Zac a olhava sorrindo, sorriso esse que só era estampado em seu rosto quando a olhava, pensava ou falava sobre ela com alguém.  Ela tagarelava sobre alguma situação engraçada em que viveu em uma de suas tardes sozinhas pelas ruas de Paris já que a noite anterior havia sido um pouco quente demais entre os dois, deixando Zac com uma preguiça imensa na manha seguinte. Ele apenas a observava olhava com atenção o jeito que ela ria alto jogando a cabeça pra trás e atraindo a atenção de algumas pessoas por ali, ele definiu o som da gargalhada de sua amada como o melhor som que já ouvirá em toda a sua vida, era uma gargalhada cheia de vida, verdadeira e que fazia com que ele sentisse vontade de rir junto, fazia ele se sentir mais vivo a cada hora em que ela ria alto.
Ele a olhava e por um breve momento imaginou como seria os filhos dele com aquela mulher, imaginou um menina completamente igual a ela uma verdadeira copia e sorriu. Ele já sabia o que ele queria para o futuro, ele já sabia que aquela aluna irritante seria a mulher de sua vida, seria a mulher com quem casaria e com quem formaria uma família.
- O que foi? –ela perguntou quando finalmente parou de falar e viu que ele a olhava com um sorriso bobo no rosto.
- Estou apenas olhando. –ele falou sem desviar o olhar do rosto dela, tendo a chance de vê-la com as bochechas coradas.
- Está me deixando sem graça. –ela abaixou o olhar e suas bochechas coraram ainda mais.
- E mesmo assim você continua linda. –ele colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha dela colando os lábios nos dela logo em seguida, era um beijo calmo e apaixonado. Quando a falta de ar atingiu os pulmões de ambos, eles se separam com breves selinhos. –V? –ele a olhou.
- Oi.
- Qual os seus planos? Digo e agora o que pretende fazer? Afinal o colegial acabou.
- Hum. –ela pensou por alguns segundos. –Passar o resto da minha vida ao lado do homem que eu amo? –ela falou como se fosse obvio. –Mas se ele não aceitar, eu passo o resto da minha vida ao seu lado. –ela sorriu.
- Eu aceito, ate porque a mulher da minha vida deve tá perdida por ai. –ele falou sorrindo. –Disso eu já sei, eu quero saber além desse.
- A minha vida foi tão agitada que eu acabei esquecendo-me de algumas inscrições para faculdades.
- E você já tem resposta de alguma delas? –ele perguntou curioso.
- Sim, uma de New York. –ela sorriu. –Consegui uma bolsa.
- E você não esta feliz por isso? –ele a olhou.
- Sim e não. –ela fez um bico. –Eu vou morar em New York e ficar longe de você.
- É o seu futuro morena. –ele fez um carinho no rosto dela. –Não pode pensar nisso ou não ir porque ficaremos longe.
- Eu sei. –ela suspirou. –Mas passamos por tantos problemas pra acabar assim.
- E quem disse que precisa acabar? –ele falou Vanessa o olhou sem entender.
- Como assim? Vai me esperar? –ela falou sorrindo fraco.
- Sim. –ele sorriu. –Todos os dias na nossa casa, estarei provavelmente sentado em frente à tv enquanto você entra completamente linda pela  porta.
- Hã? –ela perguntou confusa.
- E se eu disser que estou disposto a ir morar em New York. –ele falou sorrindo e viu os olhos dela brilhando. –Se eu disser que comprarei uma casa por lá você aceitaria morar comigo?
- Eu não posso deixar você largar tudo por minha causa.
- Você é o meu tudo agora. –ele lhe deu um rápido selinho. – E será apenas uma casa e um emprego que eu nem quero mais, e confesso que esses dois últimos anos eu só permaneci lá por sua causa, só pra ter você de alguma forma perto de mim.
- Você sempre reparou em mim? –ela perguntou com o cenho franzido.
- Sempre. –ele sorriu largo. –Por que você acha que eu implicava tanto com você? Te ver irritada era divertido.
- Idiota. –ela falou revirando os olhos.
- Então aceita ou não? –Vanessa olhou e o silencio pairou entre eles. –E se eu melhorar essa proposta?
- Como assim?
O cenário era perfeito, era finalzinho de tarde e toda Paris já estava iluminada. Como plano de fundo a Torre Eiffel iluminada, ambos estavam sentados um de frente para outro, Zac levantou-se e pegou na mão da amada fazendo com que ela também se levantasse e ficasse em pé na sua frente ele se ajoelhou e Vanessa arregalou os olhos surpresa.
- Ai meu Deus. –ela falou baixinho fechando os olhos e prendendo a respiração. “Isso é só um sonho Vanessa, assim que abrir os olhos vou acordar.” Falou mentalmente e quando ela finalmente abriu os olhos o viu ali ajoelhado, com uma mão ele segurava a dela e com a outra segurava uma caixinha vermelha.
Vanessa estava completamente feliz e nervosa ao mesmo tempo, sabia que dali sairia uma pergunta que toda mulher sonhava em ouvir  na vida, pergunta essa que mudaria por completo o rumo da vida deles, pergunta que faria duas vidas se tornarem apenas uma.
- V. –ele falou depois de respirar fundo a olhando. Pela expressão dele, ela sabia o quanto o moreno estava nervoso, ansioso e claro com medo afinal ela podia muito bem dizer um “Não” e alegar ser jovem demais para esse tipo de coisa. –Vanessa Anne Hudgens. –ele falou dessa vez em um tom de voz mais alto e confiante. –Quer se casar comigo?


FIM ????






Hey meninas,
Chegamos ao fim da 1º temporada hehe
Foi cheia de emoções hein,mas garanto que a 2º temporada terá muito mais viu
Obrigada pelo carinho,paciencia por tudo
Ah e se eu não voltar aqui até o natal,quero desejar que tenham um FELIZ NATAL muito abençoando,cheio de paz e com muito peru kkkkk brincadeira gente
bom é isso até qualquer hora
xoxo

3 comentários:

  1. Oh my God ^-^
    Capítulo hiper mega perfeito
    Apaixonada por essa história
    Completamente ansiosa pela 2 temporada
    Posta logo amr, não demora
    Feliz natal pra vc tbm,amg
    Xx

    ResponderEliminar
  2. Aaahhhh eu queroo maisss... A fic ficou simplesmente perfeita! Estou ansiosa pela segunda temporada e por favor posta maiss logoo. Bjosss e um Feliz Natal, que possa ser derramada bênçãos sem medida sobre sua vida.

    ResponderEliminar
  3. Ai meu deus q perfeito
    Louca pela 2 temporada n vejo a hr de ler
    Feliz natal tudo de bom pra vc e pra sua familia q vc seja mto feliz em 2016 q realize todos os seus sonhos e q continue a escrever fics
    Xoxo

    ResponderEliminar